O grito que ecoou na Igreja

              casamento

Era um dia bonito para um casamento, já entardecia com um pôr do sol maravilhoso, saímos em cima da hora para sermos padrinhos. Mais duas pessoas que deixaram a solidão, os dois na meia-idade e solteiros estavam realizando o sonho que por alguns momentos de suas vidas parecia um sonho quase inatingível.
Entramos na fila de padrinhos, como fomos os últimos a chegar, ficamos bem próximos ao corredor central por onde viria a noiva até o altar. O noivo entrou com um sorriso que não cabia no rosto, percebi que o amor lhe fez bem. Recordei o dia que nos procurou, encontrou o nosso site e assim soube da Agência Par namoro e matrimônio. Ele fez algumas perguntas a si mesmo: - Quem procura? Como procura? Onde? O que é? Como funciona a Agência de namoro? É isso, é isso. Percebeu que é o melhor lugar para pessoas que procuram um relacionamento sério e que não tem tempo e nem disposição de se arriscarem.
Igreja cheia, o noivo com cara de feliz e ao mesmo tempo um pouco tenso, naturalmente era o dia de seu casamento e só faltava a noiva entrar pelo corredor de flores. Começou a música, mãos femininas abriram delicadamente a suntuosa porta para a noiva, emocionante.
Tudo mágico como num filme... e de repente um mendigo entrou pela entrada lateral e virou no corredor central, andando tranquilamente, cambaleante pelo tapete vermelho pisando nas pétalas de rosas, neste instante a porta fechou bem mais rápido, com várias mãos evitando a entrada da noiva. E lá vinha ele, sem pressa, as pessoas olhavam estupefatas, a cantora sem perceber continuava cantar, parecia cena de filme, e o pior, ele vinha em nossa direção. Parou na nossa frente e soltou um grito que ecoou na Igreja:
-Você quer casar?
Olhei para ele e estático, ele estava bem perto, foi tão alto o grito que nem entendi direito o que ele falou. Calou todo o burburinho que havia ficado com a sua entrada triunfal, a cantora quase engasgou, e sem que me desse chance de responder repetiu a plenos pulmões:
-Você quer casar?
Tentei ser gentil, respondi que já havia casado e que estávamos ali iniciando o casamento de nosso amigo e se ele quisesse podia sentar-se e assistir ao casamento. Todos olhavam atentamente a cena, como uma pegadinha ou coisa do tipo. O noivo pálido, sem expressão. E o ébrio penetra, agora mais calmo, mas o volume continuava nas alturas:
-Quero ver a noiva.
Tentei argumentar, mas não adiantava, aí um convidado chegou perto dele e disse alguma coisa misteriosa nos seus ouvidos, e ele saiu imediatamente... Fiquei intrigado.
Novamente as portas se abriram, a noiva entrou e os noivos realizaram o sonho, nada atrapalhou a felicidade do casal e o assunto ficou como um ingrediente cômico.
Na festa procurei o convidado que salvou a situação e quis saber:
-Qual foi a palavra mágica?
Ele sorriu e disse que foi bem simples:
-Vem que eu te pago uma pinga...
Esta inusitada História de Amor só enriqueceu e aumentou nossa alegria, eu e minha esposa colhendo frutos em missão de Cupidos Profissionais desde 1998.
               alianças