João e Maria

João: Titubeou para tocar a campainha, desistiu, passou na frente da Agência Par disfarçadamente e olhou a folhagem colorida, neste momento refletiu: Estou só, preciso de uma namorada! Naquele instante ele lembrou como é bom gostar de alguém, como é bom o carinho, o afeto, o momento de estar juntos...Percebeu que seria a forma mais interessante e moderna de encontrar uma namorada , sim uma agência de namoro e matrimônio... apertou a campainha, entrou rapidamente, feliz por ter sido corajoso e ansioso com que estaria por vir. A partir daí João fez uma viagem seus anseios, buscas e realizações para sua vida e do seu futuro par. Ficou confiante com a seriedade e o sigilo das informações. João sonhava com uma pessoa especial. Uma mulher companheira e amorosa para formar uma família feliz.
Maria: Naquela manhã fria e solitária sobrou um tempinho no trabalho de Maria para que desse uma olhadinha no Google a procura de uma agência de casamentos. Olhou todo o nosso site, anotou na agenda qual o número de telefone e ficou com a dúvida, ligar ou não ligar, preencher a ficha de inscrição ou deixar pra lá. Os dias foram passando e algumas vezes ela se surpreendia pensando nesse assunto, olhava a agenda e encontrava anotação. Aquela pequena anotação ocupou um grande lugar no pensamento. Intrepidez e ousadia, sim ou não. Ela pensou, pensou, tomou um gole de perseverança e preencheu a ficha de inscrição no site da Agência Par. Quando conversamos ela falou dos sonhos e de toda dificuldade de encontrar um rosto na multidão, ao mesmo tempo falou da esperança de encontrar alguém. Falou como seria o homem que a faria feliz, ela confessou a vontade de um dia ser a noiva e de entrar na igreja vestida de branco; falou que as flores que enfeitariam o buquê seriam jasmim.
O encontro dos dois: João se olhou no espelho e começou a conferir se tudo estava certo: barba feita, perfume discreto, roupa alinhada e coração a mil, ligar pra ela havia sido mais difícil, mas depois que o encontro foi marcado, tudo ficou mais simples. Enquanto ele se dirigia para o encontro foi observando tudo e imaginando o minuto seguinte, o caminho parecia não ter fim. Ele sabia da importância do momento, da conquista, João foi para conhecer uma pessoa com afinidades e que despertasse o seu sentimento maior, o amor. Maria pensou: O que vestir? Salto agulha ou anabela? Cabelo solto ou preso? Batom vermelho ou gloss? Muitas dúvidas pairavam em sua cabeça, o que dizer? Onde ir? Era uma verdadeira chuva de pontos de interrogação, a ansiedade fazia com que os pensamentos corressem desordenados, nas mãos a transpiração e o frio na barriga. O momento do encontro chegou e toda aquela ansiedade foi substituída por emoção, serenidade, risos, os olhares se cruzavam e o tempo passou rápido demais, a conversa fluía e a vontade de ir embora não chegava. Assim o namoro começou num triscar de almas com encantamento, firmando o compromisso.
O casamento: A música inundava o salão da igreja, recheando os ouvidos, a fisionomia dos convidados era de pura alegria, deixando gravado aquela cena: Ela toda de branco caminhando na direção dele, pelo tapete vermelho adornado com os arranjos de flores coloridas, então com os passos firmes, sem medo, coração aos saltos, o incrível brilho nos olhos e as flores de jasmim no buquê.