SHI (Síndrome do Homem Irritado) e TPM (Tensão Pré-Menstrual)

São designações científicas para períodos de variações hormonais que ocorrem e nos homens (SHI) e nas mulheres (TPM) que influenciam no humor e conseqüentemente nos relacionamentos.
Hormônios são substâncias químicas produzidas no organismo e que tem o efeito específico sobre a atividade de um órgão ou de toda a estrutura orgânica.
Desafio, hostilidade, confusão, abalo moral, o hormônio altera a disposição de apreciar ou perceber coisas em seu real sentido, “muda o senso de humor”.
Não é somente nas mulheres que os hormônios agem alterando o comportamento, segundo o cientista Gerald Lincoln, da unidade de ciências da reprodução humana do conselho de pesquisa médica em Edimburgo-Escócia, batizou uma anomalia hormonal que os homens sofrem de SHI (Síndrome do Homem Irritável), aqui também conhecida como Síndrome de irritação masculina, ou até mesmo chamada de TPM masculina, que é provocada pela queda súbita dos níveis de testosterona.
Testosterona é o hormônio masculino, fabricado pelos testículos do homem 10mg/dia basicamente com duas funções: anabólica e androgênica, com a função anabólica ela atua sobre a zona de crescimento dos ossos, além disso, ela influência no desenvolvimento dos órgãos do corpo humano, a androgênica é responsável pelo desenvolvimento das características masculinas (produção de espermatozóides, pêlos, barba, voz etc...) age também na distribuição de gordura corporal, diferenciando a silhueta masculina da feminina, a testosterona também é produzida na mulher pelos ovários e glândulas supra-renais, mas em quantidade menor: 0,25mg/dia.
Essa Síndrome do homem irritável atinge homens de todas as idades sem distinção de raça. A queda súbita do hormônio no homem não é periódica como na mulher e sim relativo a situações vivenciadas, estresse, a morte de um ente querido, brigas, divórcio, doenças, preocupações etc...
A TPM feminina já é conhecida e divulgada, por vir em ciclos é mais fácil de ser identificada. O homem pode passar longos períodos de bom humor e de repente vir o mau humor, a emotividade, ou a agressividade, ou até mesmo, confusão mental, fica bem mais difícil de entender e identificar.       
                                        
Lincoln, o cientista que lançou a teoria no início do ano de dois mil e dois na revista New Scientist, diz que é preciso aprimorar as pesquisas agora que está identificada a síndrome.
Sobre a TPM feminina (fase do “trem desgovernado”). Citamos o suplemento da revista Cláudia, nº516, falando do estrogênio e progesterona.
“Apenas 15% das mulheres não tem sintomas do período pré-menstrual” diz a reportagem de Cláudia Duarte Cunha, pesquisada com o psiquiatra Joel Rennó Júnior. “Dê três a dez dias antes do sangramento, a maioria enfrenta distúrbios em maior ou menor escala, confira os estágios de gravidade da TPM:
-Leve: O quadro é próprio de mulheres com ciclos regulares e inclui dor nas mamas, inchaço e cefaléia. As perturbações emocionais quando se manifestam, são brandas e passageiras.
-Moderada: A maior parte das mulheres se encaixa nessa categoria. Aos sintomas físicos, como cólicas e mal-estar, somam-se ansiedade, irritabilidade e impulsividade. Segundo Rennó Júnior, alguns tratamentos hormonais podem ser necessários.
-Grave: A disforia pré-menstrual já configura uma situação mais dramática, que acomete de 2 a 9% das mulheres. Depressão, dificuldade de concentração, falta de energia, além de alterações visuais, de apetite e sono são alguns dos sintomas. O psiquiatra ressalta que em alguns casos, é preciso acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, formada por ginecologista, psiquiatra, psicólogo e nutricionista. Para algumas mulheres, receita-se até mesmo antidepressivos.
Transtornos da fase pré-menstrual:
Físicos: acne, aumento ou diminuição do apetite, aumento de peso, cansaço, cólicas, diarréia, dor de cabeça, dor na região lombar, dor nas mamas, inchaço do abdome, náuseas, palpitações, predileção por certos tipos de alimento (evitar: álcool, café, doce e chocolates).
Psicológicos: agressividade, alterações no humor e no desejo sexual, ansiedade, choro fácil, depressão e auto-estima comprometida, dificuldade de concentração, diminuição da memória, insônia ou aumento da sonolência.
Saber que homens e mulheres são influenciados pelos hormônios e que estão agindo de maneira diferente por conta da alta ou da queda, facilita o entendimento do comportamento alheio.
As causas do distúrbio ainda não são bem conhecidas. Alguns médicos acreditam que ele seja provocado pela ação de progesterona no organismo feminino.                  
Aí é que mora o perigo porque as cobranças e acusações são mais comuns neste período, um homem na SHI e a mulher na TPM, o terreno se transforma em campo minado, podendo surgir uma briga ou desconforto no relacionamento, em conseqüência da alteração hormonal de cada um, bastando um único passo errado para iniciar a explosão.
Nesta fase, o mais indicado é procurar entender o outro, procurar compreender que é uma fase, que não adianta querer incriminar, ou provocar, pois a tensão ficará maior e aí: BUM!
Pequenas atitudes de carinho, paciência, saber valorizar o que tem de bom na relação, aceitar os “pitis”, reforçarão os laços, afinal vocês já estão com os hormônios alterados demais.
Há um dito popular que se encaixa perfeitamente neste caso: “Quando um não quer, dois não brigam”.                 
André Carvalho e Roseli Sanches Carvalho