Perigos nos relacionamentos via Internet

Os humanos são seres gregários, precisamos de relacionamentos, seja amoroso, fraterno ou profissional. Percebemos a satisfação de uma criança quando encontra outra, é o contato mais puro, demonstra felicidade simplesmente pela presença do amiguinho, ela não entende toda a complexidade das relações dos adultos, mas instintivamente sabe que estar junto com um semelhante lhe traz alegria.
Se relacionar via internet, seja com objetivo de encontrar um companheiro ou apenas um amigo, é a expressão dessa necessidade gregária de todos nós, sufocada pela individualidade moderna, a insegurança das ruas, pressionada pelos instintos que pedem com veemência pôr relacionamentos, essa energia acumulada explode na ânsia de se achar amigos ou um companheiro pela rede, apenas tentando saciar a fome do instinto e não resolvendo, porque para se relacionar de verdade é o preciso usar todos os sentidos, com olhares, trejeitos do corpo, vozes, cheiros, sorrisos.   
Antes do aparecimento da TV, as pessoas tinham uma vida social mais intensa, quando escurecia as pessoas se reuniam para conversar, contar casos, ver os amigos e fazer novos amigos.  Nas praças existia o “footing”, que era uma paquera, os homens andavam em um sentido, e as mulheres ao contrário, ou as moçoilas ficavam sentadas jogando um charme, enquanto os rapazes davam voltas e mais voltas. Nessa relação usavam-se todos os órgãos do sentido no relacionamento. Olhar, ouvir, falar, cheirar e sentir, todos eles nos conduzem, percebemos que o nosso par deve ser aprovado em todos esses quesitos, pois eles são as portas para o mundo, o que eles perceberem será identificado e traduzido em informações para vivermos e encontrarmos alguém. No mundo moderno substituímos os meios, mas sempre estamos necessitando de nos relacionarmos.
A internet é um meio de comunicação espantoso, veio para ficar e devemos agradecer pôr estarmos vivendo esse momento histórico, onde a comunicação humana deu um passo gigantesco. Abre-se com isso um leque de possibilidades, inclusive de se iniciarem relacionamentos.
É claro que é possível encontrar alguém pela rede, mas com cautela. Só pelas palavras lidas não dá para trocar juras de amor, avalia-se apenas com um órgão do sentido o seu pretendente, é preciso ir mais fundo. Sem contar que será necessário muito trabalho e bom senso, para ler e escrever, ser um ótimo escritor, você pode ser o par perfeito do internauta que tecla com você, mas se não conseguir passar os sentimentos via escrita, está deletado, é difícil confiar na legitimidade dos sentimentos que só são enviados após conferir se o texto ficou bom e convincente, perde-se todos os outros sentidos de avaliação, e principalmente a espontaneidade.
Para resolvermos isso precisamos nos encontrar com o possível amor, o risco é imenso, sem falar na violência, todo cuidado é pouco nessa hora. Há notícias de toda sorte de caloteiros e galanteadores, aproveitando sua veia artística para seduzir.
Criamos um dilema, a vida moderna nos faz individualista e com poucas possibilidades de relacionamentos casuais, a internet é uma maneira arriscada, mentir é fácil, muito mais trabalhosa e para poucos.
A incrível capacidade do ser humano cria caminhos.         
Hoje agências de namoro geram possibilidades de se conhecer alguém com segurança e afinidades, é uma busca direcionada onde a pessoa procura pôr já estar madura para um relacionamento sério.  
O relacionamento via internet é mais um meio, mas apostar todas as fichas é contra a natureza, devemos buscar um equilíbrio, pois o coração quer segurança para alçar vôo no amor.    
André Carvalho e Roseli Sanches Carvalho