Nova Modalidade de Família

Após uma separação a ordem é cuidar dos filhos, arrumar a casa, organizar a vida e acalmar o coração. A maioria das pessoas recém separadas, quase que inconscientemente, concentram suas energias na vida profissional, na administração da casa e no cuidado com as “crianças”. Até que um dia o coração “se encanta novamente” e a emoção de um novo amor se confunde com a angústia diante da expectativa da reação dos  filhos.
É uma situação delicada para todas as partes envolvidas, há mais alguém na relação do que apenas o casal, as crianças estão por ali, sentindo e reagindo diante de todas as mudanças, desde a separação, a mudança dos hábitos nessa primeira situação,  muitas vezes envolvendo a perda de convivência com o pai ou a mãe. E quando uma nova pessoa entra na vida dessa criança,  vem o medo da perda de espaço no coração e no tempo do único que lhe “sobrou” (ou pai, ou a mãe) da relação que um dia viveu.
É mais fácil  o adulto entender e agir para facilitar as relações, ajustando o seu comportamento.
Oito dicas para melhorar a relação.(citado por Mônica Kato)
Desde o começo de um novo casamento é fundamental deixar claro para os filhos que você continua como sempre ao lado deles. E que do mesmo jeito que eles reorganizam o tempo e o coração, quando arrumam namorados, você também pode ter outros interesses. A psicoterapeuta Cibele Neder explica: “Eles precisam ouvir que continuam sendo amados, mais isso também deve ser mostrado por atitudes no dia-a-dia”.
1 - Preserve os hábitos “domésticos” que sempre existiram. Isso deixa claro que esse Par não chegou para mudar tudo (para pior) em casa.
2 - Não abandone os programas que você e as crianças sempre fizeram: Um cinema, ou almoçar na casa dos avós aos domingos. O Par até pode ir junto.
3 - Continue com interesse nas notas e na vida escolar deles. Mostre que está mais perto do que nunca.
4 - Não deixe de levar seus filhos às festas porque marcou um compromisso. Dê um jeito de incluir a tarefa de “motorista” no seu roteiro, marcando para levá-los depois do teatro, digamos. 
5 - Por mais embaraçoso que seja, defenda o direito de seus filhos continuarem na sua cama. Para não ter a intimidade comprometida, estabeleça regras. Por exemplo: se a porta do seu quarto estiver fechada, não dá para entrar.
6 - Filhos adolescentes são capazes de entender a necessidade de viver sua sexualidade. Deixe a vergonha de lado e abra o jogo com eles.
7-Não abra mão daqueles momentos gostosos, só de vocês, quando conversam, resolvem problemas e trocam carinhos.
8 - Não deixe que seus filhos acumulem frustrações e queixas. Cada problema deve ser resolvido a medida que surge. Se perceber que eles estão tristes, tente criar soluções para resolver os problemas juntos.
Obrigações do Novo Par.
Se os filhos devem entender que você tem amores distintos, o par também. Antes de mais nada é interessante saber a capacidade que há em lidar com esta relação.
 
1 - Aceitar que não é a única pessoa importante na sua vida.
2 - Entender que um dia você estará de um lado e no outro do lado “deles”, sem significar gostar mais de um ou de outro.
3 - Reconhecer que é o elemento novo nesta história, por isso se esforçar para se adaptar a nova casa e as crianças. A compreensão e a maturidade são vitais para que esta relação tenha futuro. Portanto é preciso:
a)-Saber que é importante para você e para os filhos manter o ritmo de vida que tinham antes.
b) - Ter consciência de que os filhos são importantes. Com uma vantagem: estão com você há  mais tempo.
c) - Ficar bem com você significa ficar bem com eles também.
d) - Entender que vocês podem e devem namorar sim, desde que isso não agrida seus filhos. Se perceberem que abraços e beijos constrangem os filhos, guardem isso para momentos privados. 
Uma das saídas para contornar a situação tem uma palavra-chave: paciência. Juntar as escovas de dente sem antes passar por um treino, pode dificultar tudo. Por isso é importante todos participarem de um ensaio geral. 
 
Casar novamente   dividindo o mesmo teto, com o  par e os seus filhos é possível.
Administrar as diferenças é muito importante, não é fácil... a tarefa é árdua, só exercitando a convivência é que se abrem as portas, aparando as arestas, hasteando a bandeira branca e sendo feliz em paz!
André Carvalho e Roseli Sanches Carvalho.