A Revolução do Relacionamento

O pressuposto é que toda revolução só acontece por ter um grupo descontente com a sua realidade, existe uma pressão por mudança que deflagra a revolução.
"A revolução do relacionamento" é uma revolução silenciosa, mas transformadora, vem acontecendo hoje a todo o momento em nossas vidas e na sociedade em geral. É a mudança das relações entre homem e mulher, da estrutura da família e conseqüentemente reflete em toda a sociedade.
Essa nova mudança vem em conseqüência da revolução feminina, que já passou o seu auge, mas ainda está acontecendo, agora em conjunto com "a revolução do relacionamento". Após essa ruptura com as configurações sociais patriarcais (antes da revolução feminina), os relacionamentos entre homens e mulheres não teriam como ficar incólumes, transformaram-se e estão se transformando dia-a-dia.
A revolução feminina aconteceu sob a pressão secular de ânsia pela liberdade e igualdade entre os sexos, aconteceu em um momento histórico ideal porque tinha uma série de fatores que em conjunto tornaram possíveis as mudanças: a industrialização, a pílula anticoncepcional, a pressão das mulheres e de grande parte dos líderes mundiais. Havia um desperdício de inteligência, criatividade, facilidade de comunicação das mulheres e preponderância à paz. Todas características que o mundo tanto necessita!
Outra chave do sucesso do movimento feminino é a mais recente economia da era da comunicação, onde existe uma facilidade latente que agora é canalizada nessa nova era econômica.
Toda essa transformação atinge em cheio o relacionamento homem e mulher. Mas a evolução é para melhorar e nós devemos nos adaptar a nova ordem, navegando pelo desconhecido, mas em busca de um relacionamento com qualidade. E como toda evolução, leva tempo e confunde a todo mundo.
A confusão vem em função que no quesito "conquista amorosa", homens e mulheres quase não evoluíram, continua sendo a mesma conquista de muito tempo atrás, é ligado aos instintos e a mudança a esse nível muda muito pouco.
Hoje muitas pessoas quando vão buscar por um parceiro, pedem o mesmo modelo de seus avós, a busca por um parceiro continua arraigada aos costumes familiares e do meio em que se vive. Esses modelos demoram gerações para se modificarem.
E essa busca esta causando paradoxo na conquista:
O homem tem o instinto da conquista amorosa como de um caçador, ele tem necessidade dessa caça e esse tempo é que vai desenvolver ou não o amor. Normalmente daquela conquista sem esforço ele esquecerá rapidamente. Dando-se mais importância para a conquista que o relacionamento em si.
Para desvendar esse paradoxo, temos que evoluir no âmago de nossas raízes, fazer a "revolução do relacionamento", buscando pela conquista e em seguida um relacionamento mais saudável.
Como diz Guy Corneau, "A vida é perfeita: quer continuemos a viver segundo o modelo das dinâmicas de poder tradicionais ou adotemos dinâmicas opostas, quer consideremos a mulher que ama demais se relacionando com um homem que tem medo de se comprometer ou a mulher forte e racional que ama um homem dotado de forte sensibilidade feminina, importa reconhecer que a vida é perfeita. Não no sentido de que é sempre amável e boa, concedendo-nos o que desejamos, mas antes no sentido que nos dá sempre aquilo de que temos necessidade para prosseguirmos nossa evolução. Assim, ela acaba despertando todos os nossos complexos, obrigando-nos a assumi-los em vez de evitá-los. Não nos deixa tranqüilos, impelindo-nos sempre para frente, forçando-nos a descobrir os aspectos claros e sombrios de nós mesmos e levando-nos a tomar consciência de que cada um é o primeiro artesão da própria alegria".
O momento histórico ideal para essa "revolução do relacionamento" é agora!
Homens e mulheres estão convivendo em ambiente mais igualitário, o mundo clama por amor e justiça. Precisamos de mais comunicação e compreensão. As pessoas estão mais sensíveis e também buscando por algo a mais que uma simples conquista, isso já não é desafiante.
O desafio agora é encontrar alguém para somar e ter um relacionamento baseado no amor. O desafio é revolucionar o seu relacionamento.
André Carvalho e Roseli Sanches Carvalho